quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Receita para 2012!


sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

Entre mim e você





ENTRE MIM E VOCÊ


Ainda lembro os momentos vividos,
aqueles inesquecíveis instantes,
onde juntos, vivíamos felizes,
na paz de nosso encontro...

Os sonhos, não foram perdidos,
as histórias ainda são brilhantes,
perdoam-se pequenos deslizes,
palavras que não mais confronto.

Aprendemos com a vida,
experiências nos mudam,
assim crescemos no mundo,
amadurecemos ...

Nunca sabemos a hora da partida,
e as estrelas nos acudam,
pois é este amor, enorme, profundo,
de agora  -  sabemos,

que perdura no eterno e se deita no sempre,
entre mim e você, infinito viver!


Nice Aranha
Sereia Noturna

sábado, 10 de dezembro de 2011

Entremeios




ENTREMEIOS


Intercadência de uma vida,
entre vida e morte, o intervalo,
que veste a arte da vivência
no dado instante, chamado agora.

Entre a chegada e a partida,
é o momento que embalo,
a criação e a experiência,
contada em dias, e se acalora,

entre a vontade e o desejo,
de ser melhor, enquanto pode,
se no porvir, o que se espera,
é uma vitória acalentadora,

a brindar com fogos, o festejo,
de ter valido, e então eclode,
toda razão e emoção, delibera,
adeus a espera, cortejadora!


Nice Aranha
Sereia Noturna

sexta-feira, 9 de dezembro de 2011

Sem ti





SEM TI


Senti saudade de ti,
apertada no peito
perdida nas recordações...

Senti saudade de ti,
e ainda meio sem jeito,
tracei linhas de emoções...

Senti saudade de ti
coração acelera. E no leito,
sonho as saudades, tentações!

Senti saudade de ti,
nas lembranças. E as deito
na aurora dos desejos e exaltações...

Senti saudade de ti,
e reli cada face... E feito
verdade descobri, minhas razões.

Senti saudade de ti
parte integrante de mim.
Resta-me, sem ti,
apenas parte de mim...


Nice Aranha
Sereia Noturna

Uma vez houve a dor





UMA VEZ HOUVE A DOR


Senti a dor
no silêncio dos versos
no vazio dos poemas
na ausência da escrita

senti toda a dor
nos risos não aflorados,
nas palavras não articuladas
nos beijos que não foram dados

senti a dor
na distância estabelecida
na falta que se impôs
no não tocar mais do telefone.

Mas, senti mais a dor
na forma que aconteceu
sem justificativa
sem respeito, sem diálogo

Como? Perguntava-me,
sem resposta fiquei,
a real não fora dita
uma balela se pronunciou.

O amor nunca existiu
a relação não se firmou
era a verdade, tão somente ela,
que eu precisava escutar,

para não mais questionar
o silêncio dos versos
o vazio dos poemas
a ausência da escrita

para não mais esperar
o sorriso, as palavras, os beijos,
para não mais sonhar
um futuro que não ia chegar.


Nice Aranha
Sereia Noturna


domingo, 27 de novembro de 2011

Imagem no Porta Retrato





IMAGEM DO PORTA RETRATO


Ainda te vejo ao lado da cama,
sobre o criado mudo, a tua imagem,
como se a olhar dizendo:
estou sempre aqui, basta notar-me,

é, ao lado da cama estas,
num porta retrato, a tua imagem
olha e me diz a todo instante:
que nunca vai me deixar...

bem do lado, sobre o criado mudo,
a tua imagem, é a imagem que vejo,
a todo instante dizendo
que sempre ali estará.

Sei que é verdade,
antes mesmo de nascer já me amavas,
dia e noite, zelava-me, guardava-me,
orientou-me, criou-me...

O tempo passa e deixa tuas marcas,
sobre o criado mudo esta teu retrato
no peito entranhado todo o legado,
ensinamento e carinho,

no mudo criado ao lado da cama,
apenas a tua imagem, a confortar-me,
por ter em minha vida estado,
guiado, amado e sido amado,

não só ontem e hoje, mas por toda a eternidade,
que mesmo no mudo criado, estando,
ainda é tua imagem que dita,
o caminho, a luz e a vida.

Sobre o criado mudo, um porta retrato,
nele esta teu retrato, tua face a olhar-me,
dizendo a todo instante que estarás sempre ao meu lado,
não só no porta retrato, ao lado da cama, sobre o criado mudo,

nem mudo, ao lado da cama, estas a dizer-me,
do amor tão eterno que nos une,
o amor de pai e filha, retratado na imagem,
do porta retrato sobre o criado mudo, ao lado da cama.


Nice Aranha
Sereia Noturna

sábado, 26 de novembro de 2011

Ausência Sentida






AUSÊNCIA SENTIDA


Confesso sentir tua falta
a cada instante...

Porque sem você,
resta o vazio sufocante.

Tua presença faz-me bem,
deixa-me alegre, radiante.

Quando estas junto a mim,
torno-me melhor, é fascinante....

Porque juntos somos o amor,
completo, verdadeiro, emocionante!


Sereia Noturna
Nice Aranha

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

O Nosso Beijo



O NOSSO BEIJO


Não cede, a sede que me toma
de colar os meus lábios aos teus,
não se rende, a teia que enlaça
o sabor que é mel e embriaga
quando o desejo nos afaga...

Assim, o momento nos cala,
na vontade que se ampara
no ardor que nos embala,
precipita, acalma e não para,

repete movimentos
faz descobertas,
une sentimentos,
umidece as bocas,

que loucas e ávidas se procuram
se colam, mordiscam e atiçam,
promessas vindouras
de gemidos e uivos de intenso prazer

desvendados, provocados,
arrepiando a pele, que transpira
a magia do encontro almejado
agora princípio de um legado.

Herança de um amor fomentado.


Nice Aranha
Sereia Noturna





Caminho Infinito



CAMINHO INFINITO


Estrada que segue sem parar,
levando-me aqui e acolá,
ensina-me viver e rumar
para o lado do bem triunfar...

Dos passados caminhos rimar
as feridas e glórias, aprimorar
repetidas vezes cooperar
e eternamente amar.

Paz nesta vida encontrar
e de felicidade me inundar
fazendo da terra e do mar,
sentido e razão, expresso no ar,

validando o que vai perdurar
tranquilidade e verdade, durar,
a justiça, ao sonho embalar,
na certeza de ser, resgatar

no humano, o mais belo que há,
hoje escondido... E por certo implantar,
na esperança, a crença, e enfatizar,
que a vida não pode acabar.


Nice Aranha
Sereia Noturna


quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Tom da Vida




TOM DA VIDA


Ainda existe o sonho no Bolero de Ravel,
na valsa de Strauss, no tango de Gardel...
E sem modéstia, existe um mundo admirável,
nas partituras e nas letras do cordel...

Onde o amor é ator principal,
e o tom e a cor são sem igual,
existindo sempre um tal para um qual,
na dor e na alegria, que os tornam imortal.

Ah, compassos que aos poucos surgem,
figuram toda emoção, quando aludem,
tocam os corações, quando repercutem,
e as pessoas neste instante se curtem,

sem medos, receios... numa só pausa,
seguida de staccatos, fermatas... Doce causa,
em claves de vida e morte, lançada sorte,
magistral melodia, que infinita, segue forte!


Nice Aranha
Sereia Noturna

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

História...




HISTÓRIA...


Um dia flores, presentes,
jantar, salmão, mãos dadas,
olhos nos olhos...

Depois, a partida,
sem adeus, poesias arrancadas,
palavras silenciadas...

Do romance tirou-se a vida,
a ferida se fez e ficou,
triste história findou.

Pó restou, que o vento sopra,
e vez ou outra lembra do tempo,
que existiu e viveu, encantada,

entre as flores sempre presentes,
jantares, salmão e mãos dadas,
olhos nos olhos, história da gente.


Nice Aranha
Sereia Noturna

domingo, 4 de setembro de 2011

Sorvo de Amor



SORVO DE AMOR


Uma longa distância se encurtou,
quando à porta do quarto adentrou,
logo a chama do amor acendeu,
não eram falsas as juras trocadas,

aninhada em teus braços descobri,
a cor e o sabor da maior emoção
a gemer de prazer os nossos carinhos,
nos corpos suados em êxtase...

Vi-me em teus olhos e senti os teus lábios,
deslizei as minhas mãos no teu corpo
enquanto as tuas tocavam minha pele,
cada pedaço de ambos, então desvendados.

Nenhuma distância se presenciou,
quando no leito se concretizou,
o fogo de eras, vidas, que nos emudeceu,
e em breves segundos seguidas palavras,

sussurros, gritos, murmuros... Cobri
o instante de paixão, emoção e tesão,
a viver desmedida todos teus empenhos,
de candura e ternura repletos, a base,

gerando o desejo e a vontade, sábios,
misturando e embalando... E o esquenta-corpo,
escorregando devagar, acelerando a febre
que nos deixa os corpos repletos e de amor saciados.


Nice Aranha
Sereia Noturna

Silêncio Devastador



SILÊNCIO DEVASTADOR


Caem do céu estas fortes gotas
que lágrimas de Deus parecem,
ao chorar as atitudes desumanas,
insistentes e persistentes do cotidiano.

A expressão de espanto que adotas
em nada aliviam tamanha dor, emudecem,
as palavras se trancam, caladas,
nem no sussurro se esboçam, ano a ano...

Quero que o mundo se levante,
que tu acredites e assumas,
despertar atitudes do bem,
que trazem felicidade ao invés da dor...

Pois que guardar o sentimento, infante,
mais parece tolice, a carregar os traumas,
fazendo mal a quem se diz também,
se querer muito, querer tanto, ser o amor.


Nice Aranha
Sereia Noturna





sábado, 3 de setembro de 2011

Sou







SOU




Sou o tempo que passa no espaço presente, 
sou o espaço ocupado no momento, agora,
sou o agora que vive este exato instante,
sou força, sou luz, sou energia... Sou o amor!


Faço-me amor, transformo-me em amor...
Nasci do amor, para ele ser e dele viver!



Nice Aranha
Sereia Noturna

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Retrato do Amor



RETRATO DO AMOR


Em minha pele o teu desejo
escorre e marca a saudade
que de teus beijos eu sinto
ao lembrar nosso enlevo.

Fecundo momento de chama
ardente esperança de luz
que registrou o nascer
do sentir que aflorou...

Toando suave arpejo
vibrando toda a vontade
do enlace que eu pinto
na aquarela que eu devo

contigo viver em flama
a verdade que nos seduz.
E nos rabiscos, vamos escrever,
a história que não terminou

dois amantes, um só amor!


Nice Aranha
Sereia Noturna




terça-feira, 23 de agosto de 2011

Repetidas Alegrias




REPETIDAS ALEGRIAS



Um dia vivi um lindo sonho,
puro, intenso, inesquecível,
dele cubro-me todos os dias,
no afã de revivê-lo eternamente.

Sigo pelo meu caminho, risonho,
por crer que o amor é possível
apesar das geográficas distâncias
que permeiam a saudade fremente.

Mas asseguro e a repetir, proponho,
cada segundo, cada momento... Impossível
repetir todas as nossas alegrias,
porém, inevitável torná-las, frequentes.



Nice Aranha
Sereia Noturna

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Construindo Histórias



CONSTRUINDO HISTÓRIAS


Castelos eu construi,
no imaginário da esperança,
buscando com esmero a realização
dos sonhos de criança

o que ainda não realizei,
no rumo, já estão. E adiante sigo,
para ver a concretização,
do que antes, era apenas um desejo.

Os tijolos, eu cimentei,
pouco a pouco... E firme, digo,
cada um deles, com o coração,
são partes da história que festejo.

Nos castelos que eu vivi,
encontrei-te e me apaixonei,
nos teus braços, então deitei,
e o nosso amor se consolidou.


Nice Aranha
Sereia Noturna



terça-feira, 9 de agosto de 2011

O Conto de Fada





O CONTO DE FADA


Aquele conto, que a realidade, embora levou,
é aquele mesmo conto que a verdade esboçou.
Vivo a saudade na lembrança presente,
onde o conto de fada, nunca se faz ausente.

Se esboças a vontade, sei que é sentido,
o amor mais completo e profundo, refletido
nos atos, palavras, sussurros,
que se tornam a canção, tema dos puros,

amados, amantes, apaixonados,
narrados, expressos, em contos contados,
um par, unas almas, o conto de fadas
mais lindo, repleto do amor que consagras.


Nice Aranha
Sereia Noturna

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Luz da Paixão



LUZ DA PAIXÃO


Não há vazio quando se ama,
o sentimento toma conta da gente,
preenche-se cada pedaço,
quer seja com a nossa saudade, quer seja com a nossa vontade...

O eco é cheio de carinho e inflama,
a felicidade que se entrega, onde a paz é permanente,
e então se preenche todo o espaço,
com a verdade que se expande na eternidade,

onde eu com você, somos apenas a vida,
infinita e perfeita, sempre bendita.


Nice Aranha
Sereia Noturna

segunda-feira, 18 de julho de 2011

Altar Mor, Amor!



ALTAR MOR, AMOR!




Não sei bem quanto tempo te procurei,
se desde antes do berço, já te desejei
foi a ti que sempre chamei,
sem saber onde e quando te achar,
punha-me as estrelas, a clamar,
e aos céus até ti, meu pensamento levar...


Desde sempre foi a ti que esperei,
havia um encontro marcado, eu sei,
no eterno e infinito que imaginei,
onde o presente é te amar,
tanto quanto é meu, o teu desejar,
duas almas num único altar!




Nice Aranha
Sereia Noturna

domingo, 17 de julho de 2011

Coisas simples




COISAS SIMPLES


Ainda penso porque não dizer,
nas coisas simples da vida,
no sol, na chuva, na alegria...

Vejo a cada dia um novo amanhecer,
onde a esperança é tida,
como a bandeira deste novo dia...

Acredito que em cada anoitecer,
terei em minhas preces, agradecida,
mais uma luz de amor, quem diria!

Sim, ainda penso nas coisas simples da vida,
porque são elas que fazem tudo acontecer,
dão sentido a tudo que estamos a viver,
e nos permitem amadurecer.

É, ainda penso nas coisas simples da vida,
porque são elas que me movem,
que me fazem melhor, que ficam,
e nos permitem a vida entender!


Nice Aranha
Sereia Noturna

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Ondas do Mar



ONDAS DO MAR


Amadas ondas da vida,
que levam e trazem
chegadas e partidas...

Ondas, ondas, queridas,
que encantam e aspiram,
alegrias sem feridas...

Ondas ferozes cheias de vozes,
ecos, tinidos, estardalhaços,
cheias de tensão, tesão, emoção...

Ondas mornas com tantas normas,
palavras, sentidos, versos,
consciência, maturidade, decência...

Ondas calmas, repletas de almas,
bondosas, pacientes, caridosas,
que acolhem, acalmam, confortam...

Ah, ondas que unem o sudeste e o sul,
norte e nordeste, leste e centro-oeste,
norte ao sul, nordeste ao sudeste...

São ondas que embalam,
em suas nuânces, todo um mar,
de infinitas belezas e eternas surpresas,

ondas que gingam aos sons inusitados,
dos nados borboletas e sincronizados,
onde nadam eu e você, no eterno querer.

Ondas, ah ondas que embalam o mar,
são ondas de esplendor, brumas, espumas,
ondulando todas as versões, do verbo amar!


Nice Aranha
Sereia Noturna

sexta-feira, 17 de junho de 2011

Recado escrito



RECADO ESCRITO


Tenho-te

Tenho-te a cuidar-me e zelar-me,
dia e noite a abençoar-me,
mas, tenho-te mais, sabes amar!

Tenho-te dentro do peito,
e fico meio sem jeito
quando carente te imploro,

teus carinhos, tua presença,
mesmo tendo a certeza e a crença,
que sempre comigo estas.

Ainda mais:

Quero-te!


Nice Aranha
Sereia Noturna