quarta-feira, 28 de setembro de 2011

História...




HISTÓRIA...


Um dia flores, presentes,
jantar, salmão, mãos dadas,
olhos nos olhos...

Depois, a partida,
sem adeus, poesias arrancadas,
palavras silenciadas...

Do romance tirou-se a vida,
a ferida se fez e ficou,
triste história findou.

Pó restou, que o vento sopra,
e vez ou outra lembra do tempo,
que existiu e viveu, encantada,

entre as flores sempre presentes,
jantares, salmão e mãos dadas,
olhos nos olhos, história da gente.


Nice Aranha
Sereia Noturna

domingo, 4 de setembro de 2011

Sorvo de Amor



SORVO DE AMOR


Uma longa distância se encurtou,
quando à porta do quarto adentrou,
logo a chama do amor acendeu,
não eram falsas as juras trocadas,

aninhada em teus braços descobri,
a cor e o sabor da maior emoção
a gemer de prazer os nossos carinhos,
nos corpos suados em êxtase...

Vi-me em teus olhos e senti os teus lábios,
deslizei as minhas mãos no teu corpo
enquanto as tuas tocavam minha pele,
cada pedaço de ambos, então desvendados.

Nenhuma distância se presenciou,
quando no leito se concretizou,
o fogo de eras, vidas, que nos emudeceu,
e em breves segundos seguidas palavras,

sussurros, gritos, murmuros... Cobri
o instante de paixão, emoção e tesão,
a viver desmedida todos teus empenhos,
de candura e ternura repletos, a base,

gerando o desejo e a vontade, sábios,
misturando e embalando... E o esquenta-corpo,
escorregando devagar, acelerando a febre
que nos deixa os corpos repletos e de amor saciados.


Nice Aranha
Sereia Noturna

Silêncio Devastador



SILÊNCIO DEVASTADOR


Caem do céu estas fortes gotas
que lágrimas de Deus parecem,
ao chorar as atitudes desumanas,
insistentes e persistentes do cotidiano.

A expressão de espanto que adotas
em nada aliviam tamanha dor, emudecem,
as palavras se trancam, caladas,
nem no sussurro se esboçam, ano a ano...

Quero que o mundo se levante,
que tu acredites e assumas,
despertar atitudes do bem,
que trazem felicidade ao invés da dor...

Pois que guardar o sentimento, infante,
mais parece tolice, a carregar os traumas,
fazendo mal a quem se diz também,
se querer muito, querer tanto, ser o amor.


Nice Aranha
Sereia Noturna





sábado, 3 de setembro de 2011

Sou







SOU




Sou o tempo que passa no espaço presente, 
sou o espaço ocupado no momento, agora,
sou o agora que vive este exato instante,
sou força, sou luz, sou energia... Sou o amor!


Faço-me amor, transformo-me em amor...
Nasci do amor, para ele ser e dele viver!




Nice Aranha
Sereia Noturna